Entretenimento

Filmes mais esperados em 2015

Eu não sei se vocês irão concordar mas, na minha opinião, o ano passado não teve muitos filmes marcantes. O Oscar tá chegando e na lista dos filmes que concorrem ao prêmio máximo não tem nenhum que causou aquele efeito uau, sabe?! Eu gostei muito de O grande hotel Budapeste e também de Boyhood, mas nenhum dos dois foi tão excepcional.

Mas tudo indica que 2015 será diferente. Esse ano terá estreias aguardadíssimas, inclusive remakes e continuações. As minhas apostas são:

Claro que o primeiro teria que ser 50 tons de cinza. Estou curiosa para ver se os atores terão aquela química esperada. E também para ver o figurino – ou seja, as lingeries da Anastasia Steele!! A data de estreia não poderia ser mais sugestiva, no Valentines Days (12 de fevereiro). Postei sobre a trilogia aqui.

Na linha das continuações, esse ano teremos: Hulk 3, Os Vingadores 2, O Espetacular Homem-Aranha 3, Jogos Vorazes – A Esperança (Parte 2) e Avatar 2. E ainda tem a turma do “Eles não sabem a hora de parar” com O Exterminador do Futuro 5, Rocky 7, Mortal Kombat 10, Velozes e Furiosos 7…  Sério gente, acho todos esses desnecessários. Não conheço nenhum filme que conseguiu manter a graça depois da terceira continuação. Até “O poderoso Chefão” (que está no topo dos meus filmes favoritos) escorregou no terceiro filme.

Já nos Remakes teremos Mad Max em maio, Jurassic World em junho, Assassin Creed em agosto e Cinderella em março. Esse útimo eu estou morrendo de vontade de assistir. A madastra má foi interpretada pela Cate Blanchett, que na minha opinião, é uma das melhores atrizes da atualidade. E ainda tem a Helena Bonham Carter no papel de Fada Madrinha.

Comentei acima que filmes com muitas continuações enchem o saco né. Mas existe uma única exceção e acho que vocês irão concordar comigo: Star Wars!! E no final do ano irá estrear Star Wars – Episódio VII. Esse é o mais aguardado por mim, tanto que deixei por último, para fechar o post em grade categoria, rs. Na direção de J. J. Abrams (o mesmo da série Lost) esse é o primeiro filme da saga produzido após a venda da LucasFilm para a Disney, que agora distribuirá os lançamentos da franquia.

Entretenimento

Hope no Negócio

Eu gosto muito das séries produzidas pela HBO. Elas são suuuper bem feitas e na maioria das vezes tem um tema interessante. E quando digo HBO não me refiro somente aos produções internacionais do canal. As séries brasileiras não deixam nada a desejar! Bom, pelo menos algumas delas. É o caso da série O Negócio, lançada esse semestre na HBO Brasil.

De cara o tema chamou a minha intenção: Como aplicar o Marketing na profissão mais antiga do mundo, a prostituição. Eu sou formada em Administração, com ênfase em Marketing. Mas seria hipócrita se afirmasse que assistia a séria por esse motivo. O que eu queria mesmo era ver como eles iam aplicar os conceitos de Marketing num assunto tão polêmico sem ficar clichê ou sem cair na vulgaridade.

O-Negocio

E é impressionante como eles conseguiram! Cada episódio consegue ser mais interessante que o outro. Eles realmente usam a administração como assunto eixo. E de quebra te deixa torcendo pelo sucesso das protagonistas! É claro que o sexo também é assunto principal. Mas as cenas são tão bem gravadas, com tomadas naturais e elegantes (o famoso sexy sem ser vulgar! Bem mais sutis do que algumas cenas de Sex and The City, por exemplo), que não fica batido.

Mas o que me fez escrever esse post não foi o seriado em si… Até pensei algumas vezes se deveria escrever ou não. Acabei aceitando a sugestão do marido (sim, ele assiste esse seriado comigo! rsrs) e segui em frente. Foi o capítulo final dessa primeira temporada que me levou a escrever esse post. Para ser mais específica, a cena abaixo:

Captura de Tela 2013-11-29 às 23.43.45

Não é necessário resumir o episódio. Mas a cena era para mostrar uma estratégia das meninas para tirar as esposas de casa durante o fim de semana, deixando o “terreno livre” para os maridos puladores de cerca. Para isso elas montaram um curso de sedução e procuraram uma loja de lingerie como parceira para promover o curso às esposas. E a loja em questão foi a Hope.

Achei arriscado uma marca conhecida associar o seu nome e imagem a prostituição. Mesmo sabendo que a série tem outros atrativos. Sem dúvida foi uma forma de publicidade. Não consigo medir se foi positiva ou negativa. O que vocês acham? Alguma leitora (ou leitor) assisti a esse seriado?

Celebridades, Entretenimento

The Great Gatsby

Eu estou simplesmente fascinada com as fotos da atriz Carey Mulligan para a Vogue Americana de Maio. Ela é capa da edição e no recheio é com fotos de Daisy Buchanan, sua personagem em The Great Gatsby.

Vogue Gatsby1

O filme é narrado pelo escritor aspirante Nick Carraway (interpretado por Tobey Maguire) que deixa o meio-oeste em direção a Nova York na primavera de 1922. Nick acaba vizinho de um misterioso milionário festeiro, Jay Gatsby (personagem de Leonardo de Caprio). Aos poucos Nick passa a frequentar o círculo de Gatsby e percebe a paixão que ele nutre por Daisy, casada com Tom (Joel Edgerton).

A atriz disse a revista que participar desse filme foi ao mesmo tempo louco e exaustivo! E ela ainda acrescentar que sem dúvida é foi a maior e mais louca produção em que esteve envolvida.

Vogue Gatsby2

Tenho que admitir que eu estou um pouco obcecada por  The Great Gatsby. Literalmente estou contando os dias (ou melhor, os meses) para a sua estréia. Eu adoro os filmes do Baz LuhrmannRomeo + Juliet marcou minha adolescência (até pouco tempo eu sonhava em me casar ao som de Kissing You da trilha do filme) e Moulin Rouge é ótimo, mesmo sendo um musical. Então minhas expectativas estão elevadas!

Vogue Gatsby3

O filmes do Baz também me conquistam pela trilha sonora. Eu tenho o cd dos dois filmes que citei acima.  Pelo trailer já dá pra ter uma idéia de que a trilha também será ótima. Com Beyoncé (cantando Back to Black da Amy Winehouse), Florence + The Machine, The XX (que eu adoro) e minha musa Lana Del Rey.